sexta-feira, Março 02, 2007

Líder da distrital do Porto do CDS/PP está
sempre com quem lhe parece que vai ganhar

O líder da distrital do Porto do CDS-PP, Álvaro Castelo-Branco, defendeu hoje a proposta de eleições directas feita por Paulo Portas e garantiu que a maioria das concelhias do distrito também "é favorável". Não precisava de o fazer. Todos sabem que ele faz tudo para estar ao lado de quem lhe parece seja, ou venha a ser, o vencedor. Que o diga Manuel Monteiro.

"Sou a favor, sempre fui a favor das eleições directas. E não acho normal que Ribeiro e Castro (líder do CDS-PP), que foi eleito em directas há dois anos, venha agora dizer que não", afirmou Álvaro Castelo-Branco, demonstrando a sua conhecida capacidade de flutuação.

O dirigente do CDS, também vice-presidente da Câmara do Porto, garantiu que "a esmagadora maioria das 18 concelhias do Porto é favorável às eleições directas". Essas concelhias, se é que existem como estrutura organizada, não são mais do que meros anexos da distrital.

O ex-líder do CDS Paulo Portas assumiu quinta-feira a recandidatura à presidência dos democratas-cristãos, anunciando que irá pedir em Conselho Nacional a realização de eleições directas.

"Se o Conselho Nacional aprovar este caminho, os militantes já me conhecem - serei consequente, isto é, serei candidato à presidência do CDS", afirmou Paulo Portas, numa declaração, sem direito a perguntas, no Centro Cultural de Belém.

Que mal terá feito Ribeiro e Castro para ser tão apunhalado, ainda por cima pelas costas, por gente que se diz cristã?

Sem comentários: