domingo, novembro 08, 2009

.. E que quadrilha!

«Primeiro que tudo, entendamo-nos. Nunca fiz parte de nenhum partido político e aquele que, até ao advento do guterrismo, sempre mereceu o meu voto foi o Socialista. Depois disso a minha opção foi sempre em branco.

Passo a explicar porquê. Fui jornalista durante mais de 20 anos no que era então um dos maiores órgãos de Comunicação Social da Imprensa portuguesa. Conheci, por via profissional, inúmeros políticos dos mais diversos quadrantes, com especial incidência no PS e no PSD, ontem, como hoje, partidos de Poder.

Sabia, digamos grosso modo, quem eram esses políticos e como viviam. Sei quem são e como vivem hoje. Semelhanças? Poucas ou nenhumas. Antes eram indivíduos com uma vida igual à sua e à minha que, fruto de mais ou menos talento oratório, se aventuraram na política. Agora são nababos palradores.

Conheci políticos de craveira moral e intelectual irrepreensíveis. Uns morreram, outros afastaram-se. Fizeram bem. Com aves de rapina não se convive. Deixaram um vazio que foi aproveitado por abutres que passaram directamente de opinion makers ao poleiro.

Com os céus livres, os abutres voam à vontade. É um fartar-vilanagem. Todos diferentes, todos iguais. Comeram-nos a carne e agora querem roer-nos os ossos. Quanto a vocês não sei. Da parte que me toca estou farto desta corja. Enjoado e enojado. Quando chegará o tempo, se é que chega, de dizer chega?... »

Jorge Monteiro Alves

in: Notícias Lusófonas
http://www.noticiaslusofonas.com/view.php?load=arcview&article=24496&catogory=Opini%E3o

3 comentários:

Gil Gonçalves disse...

Este blog foi referenciado como Blog Instigante por UNIVERSE http://guinevereuniverse.blogspot.com/

Fada do bosque disse...

Penso que lá chegará o tempo...
Quando Portugal estiver morto!... se não tivermos todos a coragem, que tem o Orlando para dizer BASTA!

CN disse...

falta chamar os bois pelo nome. até lá, isto que diz não passa de banal conversa de café.
sei o que custa o exercício que refiro. mas não vejo outro modo de falar claro.