segunda-feira, dezembro 14, 2009

Anónimos, cobardes e similares não entram
- Repetição para quem agora aprendeu a ler

Uma das características congénitas de muitos portugueses, sobretudo mas não só, é atirarem a pedra e esconderem a mão. É terem a coragem de dizer o que supostamente pensam... desde que seja sob anonimato.

Aqui o Alto Hama tem um autor com nome e chipala. E porque não é um blogue da mãe joana, nem uma casa de tias, todo e qualquer comentário anónimo não será publicado, mesmo que demonstre civismo e ideias válidas.

Os anónimos, quase sempre cobardes ao serviço dos capatazes, podem continuar por uma questão (legítima) de sobrevivência a meter o rabinho entre as pernas e, com ar dócil e canino, a dizer dezenas de améns a quem os compra.

Quem labuta nesta profissão com ética e liberdade sabe bem que ela está cheia de escumalha, escória, ralé e por aí fora, sobretudo a nível dos que têm o poder e dos que, na esperança de um prato de lentilhas, aceitam ser capachos (“pessoa que se curva servilmente perante aqueles de quem depende").

Sei desde há muito, mas sobretudo desde a altura em que mercenários tomaram conta quer da profissão quer dos órgãos de comunicação social que transformaram em linhas de enchimento, que os verdadeiros jornalistas têm a sobrevivência no fio de uma navalha que é manipulada (tantas vezes de forma anónima, por isso, cobarde) por sipaios acéfalos que tudo fazem para agradar aos chefes do posto.

E porque, naturalmente, todos queremos sobreviver e ter uma vida digna, a quase todos os que ainda têm coluna vertebral, nome e chipala só resta a dignidade pública.

Eu sabia que eram poucos os que têm coluna vertebral e que sabem que só é derrotado quem deixa de lutar. Mas enganei-me. Pelos vistos já não sou poucos... são menos ainda.

Por tudo isto, anónimos não entram. A paciência para os aturar acabou.

2 comentários:

José Carlos Pacheco Alves disse...

É assim mesmo, meu caro Orlando. Há gente a falar de mais neste país, mas de cara tapada. Não pode haver tolerância para os caretas. Também tenho uma página na internete e sei o que custa aturar toda esta cambada ! ...

Fada do bosque disse...

O Orlando nem imagina, o gozo que me dá, ler e reler esta seu "tributo" aos ditos cujos... eheheehehehhehehe