domingo, dezembro 13, 2009

Se o Natal pode ser quando um homem quiser
o nosso, o meu, talvez seja hoje... ou amanhã

Os que têm, pelo menos, três refeições por dia vão ter, certamente, um bom Natal. E os milhões, entre eles muitos lusófonos, que nem um prato de pirão têm?

Mais de 800 milhões de pessoas enfrentam a fome diariamente e, a cada minuto, 15 crianças e 15 adultos morrem de fome. Grande parte destes milhões são nossos irmãos na Lusofonia. Mas é Natal.

Em todo o Mundo, 1,1 mil milhões de pessoas não têm acesso a água potável; 2,5 mil milhões não têm saneamento básico; 30 mil morrem diariamente devido ao consumo de água imprópria. Esta é, igualmente, uma realidade da Lusofonia. Mas é Natal.

A Sida já infectou mais de 60 milhões de pessoas e tirou a vida a um terço destas; e a malária mata 2,5 milhões de pessoas anualmente. Esta continua a ser uma outra vertente da Lusofonia... Mas é Natal.

Por esse Mundo, 1,6 mil milhões de pessoas não têm acesso a electricidade e a maioria recorre à queima de combustíveis que provocam a poluição do ar e problemas respiratórios. Queiramos ou não, também aqui a Lusofonia dá o seu contributo.

Segundo o Programa Alimentar Mundial (PAM) da ONU, cerca de 12 milhões de pessoas poderão morrer de fome em Angola, Botswana, Lesoto, Malaui, Moçambique, Suazilândia, Zâmbia e Zimbabwe se não forem distribuídos um milhão de toneladas de cereais. Aqui figuram dois lusófonos.

Continua a não fazer sentido pedir aos pobres dos países ricos para dar aos ricos dos países pobres. Em vez de se preocupar com o povo que não pode tomar antibióticos (e não pode porque eles, quando existem, são para tomar depois de uma coisa que o povo não têm: refeições), o mundo Lusófono (a CPLP existe?) que pode (e deve) ajudar continua a pensar apenas, nesta altura, numa faustosa ceia de Natal.

Angola, actualmente com cerca de 13,9 milhões de habitantes, terá, segundo as projecções do FNUAP, 53 milhões de pessoas em 2050, enquanto a Guiné-Bissau, hoje com 1,3 milhões, contará 3,3 milhões de habitantes dentro de 48 anos.

Em relação a Moçambique, o país terá 38,8 milhões de habitantes em 2050, contra os actuais 19 milhões, e Cabo Verde contará 807 mil pessoas, quase o dobro das actuais 446 mil.

Segundo aquelas projecções, em média, os países menos avançados do mundo triplicarão também a sua população até àquele ano, em contra-ciclo com os mais avançados, que terão menos 15 milhões de pessoas até 2050.

Por isso, alerta o FNUAP, são necessárias medidas urgentes para combater a falta de saúde reprodutiva, ajudar as mulheres a evitarem uma gravidez não desejada e eliminar o analfabetismo e a discriminação com base no sexo.

Em termos de mortalidade infantil, Moçambique é o terceiro país com maior índice (128 por 1.000), apenas atrás da Serra Leoa (146/1.000) e do Malaui (130/1.000). A Guiné-Bissau surge em quinto (121/1.000) e Angola em oitavo (118/1.000). Cabo Verde tem uma taxa de mortalidade infantil de 50 por cada mil nascimentos.

Em relação à esperança de vida à nascença, Moçambique ocupa o segundo lugar no "ranking" negativo, com 37,3 anos para os homens e 38,6 para as mulheres. Guiné-Bissau e Angola situam-se entre os últimos 10 a 20, com uma esperança de vida, respectivamente, de 44 anos e 44,5 para os homens e 46,9 e 47,1 anos para as mulheres, abaixo da média dos países menos avançados (50,6 anos para os homens e 52,2 para as mulheres).

Acima da média e já próximo dos valores dos países mais avançados (71,9/homens e 79,3/mulheres), Cabo Verde tem uma esperança de vida para o sexo masculino de 67 anos e 72,8 para o sexo feminino.

Quanto à percentagem de número de partos assistidos por técnicos qualificados, em que a média dos países pobres ronda 34 por cento, Angola tem uma taxa de 23 por cento, atrás da Guiné-Bissau (35%), Moçambique (44%) e Cabo Verde (53%).

Quanto à taxa de prevalência do vírus HIV/Sida, Moçambique é um dos países mais afectados do continente africano, com um índice de 6,13 por cento entre os homens e de 14,67% entre as mulheres, ainda longe de países como o Lesoto (17,4/homens e 38,08/mulheres) e do Botsuana (16,08/homens e 37,49/mulheres).

Angola tem uma taxa de prevalência de 2,23 nos homens e de 5,74 nas mulheres e a Guiné-Bissau 1,06 nos primeiros e 2,98 nas segundas. Cabo Verde não surge referenciado neste item e Portugal tem 0,41 para os homens e 0,19 nas mulheres.

Quanto ao rendimento "per capita", cuja base são dados de 2000, o de Cabo Verde ascende a 4.760 dólares (cerca do mesmo valor em euros), muito acima de Angola (1.180 dólares), Moçambique (800) e Guiné-Bissau (710).

… mas é Natal.

4 comentários:

Amílcar Tavares disse...

Cabo Verde é dos países de África com menor incidência de Sida: 0,8 por cento. Fonte: RTP, via Lusa

Fada do bosque disse...

Orgulhosamente acompanhados!
Só visto! ASSUSTADOR!
http://irrealidadeprodigiosa.blogspot.com/2009/11/0084-orgulhosamente-acompanhados.html

Leumas disse...

Olá, Orlando.

Sou do Brasil, lusófono como você e sempre leio seu blog muito bem escrito e com ideias muito bem fundadas.

Infelizmente, a fome e a miséria é uma constante também no meu país que possui um presidente alinhado a um ditador que submete sua população a privações, enquanto mente a todos os brasileiros afirmando que a situação melhorou.

Está estimulando o povo a não trabalhar, a passar com esmolas concedidas pelo Estado, pagas pelos cidadãos que trabalham de verdade. Não está combatendo a corrupção que assola a região nordeste do Brasil e o "coronelismo" imperante por lá há várias décadas, desde os tempos de colônia.

Comprou totalmente a imprensa, enquanto CENSURA jornais importantes como "O Estado de São Paulo", proibido de falar sobre corrupções e falcatruas do presidente do Senado do meu país, que já foi presidente da República, nos anos 80.

Estamos com medo do que pode ocorrer por aqui. A Venezuela está se armando até os dentes e nada me agrada essa amizade com Ahmadinejad, que manda matar seus opositores, homossexuais e "swingers".

O Brasil está às portas de uma DITADURA populista, com CENSURA À IMPRENSA, corrupção batendo recordes, impostos cada vez maiores e o tolhimento de liberdades individuais.

Nem durante nosso Regime Militar foi assim.

É um alerta que faço a todos os lusófonos defensores da democracia e da liberdade. Tomem cuidado!!!

Luis Inácio Lula da Silva É UMA FARSA!!!

Gostaria de saber sua opinião a respeito.

Abraços.

Fada do bosque disse...

Por falar em corrupção, Orlando... dê uma vista de olhos nesse link!
De bradar aos céus!

http://www.publico.clix.pt/Sociedade/iefp-afasta-jurista-por-actuar-de-forma-isenta-e-imparcial_1413794