terça-feira, outubro 20, 2009

De queda em queda até à queda final

Brasil e Moçambique foram os únicos países de língua portuguesa que em 2009 viram melhorada a liberdade de imprensa, de acordo com a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF).

Todos os outros, com Portugal à cabeça, estatelaram-se para gáudio dos donos da verdade, chamem-se eles José Sócrates ou José Eduardo dos Santos.

A organização RSF considera que a liberdade de imprensa diminuiu este ano em Portugal, com uma queda do 16º para o 30º lugar na lista dos países que mais respeitam o trabalho dos jornalistas.

Não é novidade e para o ano, mau grado o dono do país ter perdido a maioria no Parlamento, vai registar-se nova queda. E, tal como o país, os jornalistas lá vão (muitos cantando e rindo) de queda em queda até à queda final.

Por seu lado, este ano, o Brasil surge no posto 71º do ranking, tendo subido 11 posições relativamente ao ano passado.

Em África, nomeadamente nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, Moçambique foi o único país a registar uma subida no ranking da liberdade de imprensa, tendo passado da posição 90º (em 2008) para a 83º (em 2009).

A Guiné-Bissau surge no lugar 92º (em 2008 estava na 81º posição) e vê os Repórteres Sem Fronteiras mencionarem a "suspensão temporária de alguns meios de comunicação social" e o abandono do país por parte de alguns jornalistas após os assassinatos do presidente João Bernardo Nino Vieira e o chefe de Estado-Maior Tagme Na Waié.

O relatório refere ainda que Angola desceu da posição 116º (em 2008) para a 119º (em 2009) e Timor-Leste caiu nove lugares e ocupa agora o lugar 74º da lista.

1 comentário:

Fada do bosque disse...

Ouvi agora mesmo a notícia na TSF.
Vai de uma maneira... realmente deviam contar com isto... principalmente aqueles que votaram no Sócrates! E não me digam que era a solução para a Demoracia!
Ficamos ao nível da Costa Rica! Sempre a andar para trás, para gáudio de alguns...