sexta-feira, agosto 21, 2009

Deus no céu e Eduardo dos Santos na terra
(além, pois claro, de Sócrates em Portugal)

Em declarações hoje à Angop, o administrador municipal adjunto do Soyo, Pascoal Aurora, enalteceu a coragem, firmeza e espírito de liderança do Presidente da República, ultrapassando vários obstáculos difíceis que o país viveu ao longo da sua história.

Pascoal Aurora é de opinião que José Eduardo dos Santos é um dos nacionalistas angolanos que devem ser valorizados e respeitados, pelo seu contributo na conquista da independência, paz e reconciliação entre os angolanos.

"Hoje somos uma das economias que mais tem crescido ao nível mundial, o país está a transformar-se num verdadeiro canteiro de obras graça a sua sábia liderança", sublinhou.

Por seu turno, o pastor municipal da Igreja de Jesus Cristo sobre a Terra (Kimbanguista), Vicente Futila Mazebo, considerou o presidente José Eduardo dos Santos como um "profeta" enviado por Deus para conduzir os destinos dos angolanos.

"A forma inteligente em que conduziu o processo de paz e reconciliação nacional demonstra uma capacidade singular na melhor resolução dos vários problemas que visam mudar a vida da República de Angola e dos angolanos", acrescentou.

Sustentou a sua afirmação com as constantes construções e inaugurações de vários empreendimentos e infra-estruturas como hospitais, postos de saúde e médicos, escolas, pontes, estradas, estações de captação e distribuição de água e centrais eléctricas que colocam Angola no caminho do desenvolvimento.

O presidente da Associação Juvenil do Zaire"Olwisa", Raul Lau Alfredo, considerou José Eduardo dos Santos como amigo da juventude, pela forma em que tem se preocupado na resolução dos principais problemas sociais dessa camada da sociedade.

Adiantou que a construção de casas para juventude no quadro do programa "Angola Jovem", o "Crédito Jovem" e o seu empenho no combate ao consumo de drogas e o VIH-SIDA, entre outros, são sinais evidentes do trabalho do presidente da República, segundo o responsável da organização filantrópica no Zaire.

... e assim, com o culto do chefe, se faz (dizem) a democracia em Angola.

2 comentários:

Fada do bosque disse...

Olhe que cá por Portugal a coisa não diverge muito!
Como não há ditadura assumida... torna-se um pouco mais árduo descobrir o/s tirano/s.
Vwnha o diabo e escolha, porque isto, não sai de cepa torta há 35 anos!
Penso que isto de poder alternado, é apenas para baralhar!

O Tempo Muda(Dr.) disse...

Como nâo há solucâo p´ra o problema dos angolanos,eu acho que agora o uníco recurso que nos resta é invocar a ira de Deus todo poderosso p´ra mandar uma faisca desde os ceús p´ra exterminar com este dinossaura(dictador).
Desde hoje entro num período de jejum de 40 dias,para que o Deus dos ceús escute a minha suplíca.