domingo, agosto 30, 2009

Esta também é fuba made in Portugal
mas não é do mesmo saco do PS/PSD!

O presidente do CDS-PP apresentou hoje um programa eleitoral que fixa como prioridades a reabilitação da economia, o combate ao desemprego e a consolidação orçamental.

Paulo Portas defende um reforço das pensões com verbas retiradas a beneficiários do Rendimento Mínimo que "vivem à custa do contribuinte" e avisa que "o país não sai da cepa torta" com o bloco central.

Devolver a economia portuguesa ao crescimento, reabilitar a política fiscal, reforçar a segurança e a autoridade do Estado, assim como os apoios sociais e às pequenas e médias empresas, constituem os eixos prioritários do programa

Um conjunto de propostas que passa pela defesa de um aumento das pensões mínimas e do apoio às instituições particulares de solidariedade social.

O programa eleitoral foi produzido por "20 grupos de trabalho" sob a coordenação de Assunção Cristas, cabeça-de-lista por Leiria.

Ontem, durante uma deslocação de pré-campanha a Penedono, o presidente do CDS-PP voltou a colocar a tónica na necessidade de rever as condições de atribuição do Rendimento Mínimo, de forma a captar verbas para "melhorar as pensões" rurais, sociais e mínimas "de um milhão de pensionistas".

"Vou deslocar uma parte do que está no Rendimento Mínimo. Prefiro apoiar quem trabalhou toda a vida do que quem às vezes abusa do Rendimento Mínimo porque não quer trabalhar, mas quer viver à custa do contribuinte", sustentou Paulo Portas.

"O dinheiro que aí se vai buscar é aplicado em pensões, porque essas sim, eu tenho a certeza de que são dadas a pessoas que trabalharam a vida inteira. Isto é uma grande diferença entre o CDS e qualquer outro partido", insistiu.

Chamado a comentar os elogios do antigo ministro socialista Joaquim Pina Moura ao programa eleitoral do PSD, Paulo Portas não se mostrou surpreendido: "Esta semana vi o professor Deus Pinheiro fazer um elogio ao PS, agora vejo o doutor Pina Moura fazer um elogio ao PSD. Cheira-me que o centrão, o bloco central, anda em movimento".

"Mas com o bloco central, o país não sai da cepa torta", acrescentou o presidente do CDS-PP.

2 comentários:

Fada do bosque disse...

Temos a "nova" máfia, portuguesa assumida, esta é demais! agora já nem se importam de mostrar à descarada, os podres da política.
Que os há até na democracia mais evoluída, há, mas devíamos, a partir das eleições, dar um novo nome ao país... que tal Carraçaquistão?
Assenta bem não assenta?!
Um novo SISTEMA foi inventado, a falta de Democracia, mas sem Ditadura!!

José Martins disse...

Gaita!
O Orlando abriu o meu baú de memórias!
Fuba, pois claro, gostei de a comer com (algumas vezes) o oleo de "den-den" e peixe seco vindo de Porto Amboim, da pescaria do meu patrão, o Rocha Coelho.
A fuba comida boa.
A fuba do "fuba" do Paulo Portas, é transgénica... não tem o mesmo gosto, nem alimenta, como a real fuba angolana.
Abraço
Jmartins