domingo, setembro 20, 2009

O medo só acaba se Sócrates for afastado?
- Creio que sim, mas todo o cuidado é pouco

Manuela Ferreira Leite ataca forte e feio o líder do PS e diz que nunca houve uma asfixia tão grande em Portugal desde o 25 de Abril. Na entrevista ao Correio da Manhã/Rádio Clube, que será publicada amanhã, a líder do PSD não tem dúvidas em dizer que o medo só acaba se José Sócrates for afastado do poder.

A líder do PSD tem razão. Basta ver que, há muito mais tempo, António Barreto disse que “este é o mundo em que vivemos: a mentira é uma arte. Esta é a nossa sociedade: o cenário substitui a realidade. Esta é a cultura em vigor: o engano tem mais valor do que a verdade”.

Continuando a citar António Barreto, em Portugal “os ex-assessores agora chamados de "Press officers e Media consultants", falam todos os dias com os administradores, directores e jornalistas das televisões, das rádios e dos jornais e escrevem notícias com todos os requisitos profissionais, de modo a facilitar a vida aos jornalistas”.

Sempre citando Barreto, esses ex-assessores “mentem de vez em quando. Exageram quase sempre. Organizam fugas de imprensa quando convém. Protestam contra as fugas de imprensa quando fica bem. Recompensam, com informação, os que se conformam. Castigam, com silêncio, os que prevaricaram. São as fontes. Que inundam ou secam.”

Continuando com António Barreto, o primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, “é a mais séria ameaça contra a liberdade, contra autonomia das iniciativas privadas e contra a independência pessoal que Portugal conheceu nas últimas três décadas”.

1 comentário:

Fada do bosque disse...

E claro está, que António Barreto tem razão!...