segunda-feira, maio 24, 2010

Brasil come (e bem) Portugal de cebolada

O presidente brasileiro lançou hoje a TV Brasil Internacional, que chegará, inicialmente, a 49 países africanos, entre eles todos os PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa): Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe.

Pois é. E Portugal (como sempre) fica a vê-los passar nas esperança, vã, de apanhar uma boleia.

"Nós queremos provar que é possível fazer uma televisão pública de qualidade, republicana, que não seja chapa branca, mas que também não seja oposição à priori, que tenha discernimento de fazer análises políticas correctas, de contar os factos como eles são. Nós queremos uma televisão pública que possa mostrar o Brasil lá fora como ele é", afirmou o presidente brasileiro, durante a cerimónia no Palácio do Itamaraty.

Como se isso não bastasse (e quem tiver dúvidas olhe para o que Portugal – não - faz), Lula da Silva garante que quando os africanos assistirem a parte da programação da TV Brasil Internacional, vão pensar que é televisão africana, tal é a similaridade de comportamentos entre os povos.

Estou a gostar de ver. Depois de ter dado luz ao mundo, Portugal ficou às escuras e nem os fósforos encontra. Escuras em todos os domínios, menos no da propaganda estéril e socialista.

Para o presidente brasileiro, a chegada a África da TV brasileira, que tem "exímia qualidade", resgata um pouco a dívida histórica com os africanos, "que não pode ser mensurada em dinheiro, mas deve ser quitada com solidariedade e parcerias".

Que bela lição. Enquanto os donos de Portugal dizem “olhai para o que dizemos e não para o que fazemos” (ou seja, nada), o Brasil pura e simplesmente limita-se a dizer olhem e vejam não o que prometemos mas, isso sim, o que fazemos.

O início, hoje, das emissões da TV Brasil Internacional foi aliás marcado por uma declaração do presidente de Moçambique, Armando Guebuza, que considera o novo canal uma forma de enriquecer a comunicação social em África.

Nesta, como em quase todas as matérias, o Brasil está sempre na liderança e tem apostado sempre no cavalo certo. Até mesmo quando os seus mercenários combateram ao lado das FAPLA (MPLA) na guerra civil angolana.

Foto: Ricardo Stuckert /PR

3 comentários:

Rui Figueiredo Vieira disse...

RTPi, já tem uns aninhos, e os militares portugueses viram o canal em Timor Leste...!

Ricardo disse...

Então Portugal não tem a RTP Internacional???
Então Portugal não tem a RTP Africa???
E já há muito tempo!

Raphaela Nazaré disse...

Eu como Brasileira fico extremanete orgulhosa da iniciativa do meu país, e tendo Portugueses em minha família, apenas me entriteço pela falata de visão de Portugal, onde posso encontrar vários blogs que defendem o fechamento das relações internações deste país com estrangeiros, e como futura moradora de São Tomé e Príncipe me alegro imensamente em saber que poderei assistir a programação intercultural que já tenho acesso aqui no meu novo país também.
E Feliz dia da África
http://principesaotome.blogspot.com/2010/05/25-de-maio-dia-da-africa.html