quinta-feira, fevereiro 04, 2010

Despedimento colectivo no Alto Hama

A evolução terrivelmente negativa do mercado dos media, em particular na área dos blogues, e a profunda quebra de receitas, que nunca teve, impõem ao Alto Hama a necessidade de avançar para o despedimento colectivo.

Na minha perspectiva e tomando em consideração exemplos recentes, tenho naturais e justificadas esperanças que ao liderar este depedimento colectivo possa ser chamado pelo Governo português para administrador de uma das empresas públicas.

Embora tenham sido lidos mais blogues, muito graças à subida do Alto Hama que registou um dos maiores saltos na audiência, impõe-se como inevitável entrar na moda da crise.

Acresce que, no âmbito da reestruturação macroeconómica do Alto Hama e dentro da estratégia das sinergias, será admitido um novo director capaz de justificar a imprescindibilidade do despedimento colectivo.

Embora o Conselho de Redacção do Alto Hama saliente que eu, como responsável máximo, afirmei publicamente a pujança deste blogue e o seu crescimento em termos de audiência, é de salientar que me estou nas tintas. Aliás, se necessário, contratarei um outro director para justificar que ele sabe que eu sei que ele sabe que eu sei o que ele sabe.

A bem da Nação, perdão, do Alto Hama
António de Oliveira Salazar, perdão, Orlando Castro

2 comentários:

ELCAlmeida disse...

Muito bem. iumpõe-se respeito pela classe. Ou comem todas pela tabela ou isto deixa de ser uma República das Bananas.
Apoiado.
Ah!, já agora que não te conheço nem me interessa mas a bem da nação, se fores para Administrador de uma empresa semi-pública de capitais de todos nós (os que pagam imposto e ainda sorriem com os dentes todos enuqanto outros pagam menos que eu e auferem mundos fundos num mês que eu não conseguirei em 10 anos, fora os carros incluídos) lembra-te, nessa altura, que sou um grande amigo teu e arranja-me lá umm assento brutal e sem trabalho. E lembra-te que nessa altura te tiro todas as pedras - para te mandar quando estiver bem sentado e te substituir - a bem da Nação, claro porque já tens carro definitivamente, um qualquer BMW, nunca abaixo da série 3 ou um Volvo além da reforma garantida acima de uns tais 10,000 Euros fora os telemóveis e hipoteca paga.
E com isto um grande kandandu de quem não te conhece, não sabe quem és, e nem é teu amigo.
Vivam os inimigos, principalm ente se forem nossos directores a espetarem com a faca nas costas e, principalmente, de estamos tão bem acompanhados pela Bibi, or else...
Kdd
Eugénio Almeida

Fada do bosque disse...

Essa, Orlando, deixou-me de boca aberta! :)
Grande Orlando! A BEM DA NAÇÃO!