terça-feira, fevereiro 16, 2010

Dois para mim (PS), um para ti (PSD)!

O PSD congratulou-se hoje com a escolha de Vítor Constâncio para vice-governador do Banco Central Europeu e espera que o Governo nomeie um sucessor no cargo de governador do Banco de Portugal que “prestigie” a instituição. Tradução: que seja do PSD.

A nomeação de Vítor Constâncio baseia-se, segundo as teses oficiais, na sua competência. Na verdade, se fosse por isso, nem no Burkina Faso teria lugar. No entanto, esta escolha política, apadrinhada pela Alemanha, visa abrir caminho para o alemão Alex Weber aceder à presidência do BCE em 2011.

Creio que neste caso, como na maioria dos praticados em Portugal, o “crime” compensa. Creio que será difícil fazer pior do que aquilo que Constâncio fez nas ocidentais praias lusitanas, mas nunca se sabe.

Provavelmente com a chegada de Constâncio, o Banco Central Europeu entrará numa nova fase, desde logo porque como diz o governador do Banco de Portugal, a supervisão ao sistema financeiro actua com métodos e padrões próprios e usados internacionalmente e não é uma espécie de KGB e FBI juntos.

Esta é uma boa teoria. Quem fizer asneiras (e em Portugal isso é o pão nosso de todos os dias) poderá sempre dizer que errou porque não é uma espécie de KGB e FBI juntos.

O suposto plano do Governo para ser dono da comunicação social, passada que foi a fase de ser dono dos jornalistas, terá falhado. E isso aconteceu porque, parafraseando Vítor Constâncio, o Executivo actua com métodos e padrões próprios e usados internacionalmente e não é uma espécie de KGB e FBI juntos.

De qualquer modo, sendo certo que ninguém sabe o que nesta altura é o Banco de Portugal, de uma coisa se pode ter a certeza, não é uma espécie de KGB e FBI juntos. Já não é mau...

Quando no dia 27 de Maio de 2009 acusou um deputado do Bloco de Esquerda de “equívoco ou ignorância fundamental” sobre o que é a supervisão e o que foi a intervenção do Banco de Portugal no Banco Português de Negócios, Vítor Constâncio disse que a natureza de algumas perguntas formuladas são “com presunções de os supervisores serem uma espécie de KGB e FBI juntos”.

“O supervisor não é um super polícia” com acesso a tudo, disse o governador do Banco de Portugal, mas sim uma entidade que actua segundo métodos e padrões reconhecidos. E, acrescento eu, com a eficácia que se conhece e que é recompensada com a entrada no BCE.

Ok. Então, em vez de supervisor (visão superior à normal), Vítor Constâncio deveria reconhecer que não passa de um simples visor ou, neste caso, um grande retrovisor em que é possível distinguir o que interessa não aos portugueses de segunda mas, apenas, aos de primeira (os do PS quase sempre, os do PSD de vez em quando).

“Não pode ser cometido o erro, para não dizer outra coisa, de se avaliar a actuação por critérios e objectivos que sejam diferentes das práticas internacionais”, indignou-se Vítor Constâncio, recordando que uma análise recente do Fundo Monetário Internacional mostrou que as práticas do regulador português estão no grupo das melhores.

O mesmo diria com certeza do governador do Banco do Burkina Faso...

É verdade. O melhor médico que conheci (e assim foi considerado por muitos) foi um que sempre tratou da saúde aos que estavavam de boa saúde. Quando alguém estava doente, mandava-o para o hospital.

Constâncio deixou na altura ainda uma interrogação sobre o papel dos revisores oficiais de contas e auditores, dizendo que as situações detectadas no BPN, ainda antes desta situação que levou à nacionalização, “foram todas identificadas pelo Banco de Portugal e não pelos auditores”.

Ou seja. A culpa é dos outros e não é tão grande porque, embora não sendo uma espécie de KGB e FBI juntos, muito menos PIDE ou DGS, o Banco de Portugal conseguiu fazer o papel dos outros. Se calhar esqueceu-se do seu, e como não tinha ponto...

1 comentário:

Fada do Bosque disse...

Adoro deixar links deste blogue aí pela blogosfera... o jonalismo de investigação, está quase em extinção, mas como o Orlando sente na pele, ainda há quem resista, verdade Orlando?
Qualquer dia, enfiam-nos num avião da CIA directos a Guantânamo! :))eheheheheeh já faltou menos!...
Essa foto mostra bem o rejúbilo da "nossa" Máfia. Força Orlando! precisamos de informação verdadeira! :)
Abraço